Autora: Arantxa Vizcaíno-Verdú | enero 10 2022 Tradução: Vanessa Matos https://doi.org/10.3916/escuela-de-autores-171 As revistas científicas priorizam a apresentação de artigos em nível internacional, a partir de seu formato editorial interno, flexível e adaptável. Nesse dinamismo estrutural da informação, encontramos repetidamente o título, a identificação dos autores, o resumo e o que comumente conhecemos como palavras-chave ou keywords (em […]

Autora: Arantxa Vizcaíno-Verdú | enero 10 2022

Tradução: Vanessa Matos

https://doi.org/10.3916/escuela-de-autores-171

As revistas científicas priorizam a apresentação de artigos em nível internacional, a partir de seu formato editorial interno, flexível e adaptável. Nesse dinamismo estrutural da informação, encontramos repetidamente o título, a identificação dos autores, o resumo e o que comumente conhecemos como palavras-chave ou keywords (em inglês). Partindo das conhecidas múltiplas ocupações dos pesquisadores e, principalmente, do ‘fator tempo’, devemos prestar atenção fundamental às palavras-chave, pois juntamente com o resumo e o título, são as seções mais consultadas dos artigos científicos.

SEO científico: Por que dedicar tempo para a seleção de palavras-chave?

Em muitas ocasiões, os pesquisadores dão pouca atenção à seleção de palavras-chave que identificam as principais questões do estudo. Juntamente com um título e resumo pouco precisos, em termos de redação e capacidade argumentativa, esse descaso pode resultar na invisibilidade e, portanto, no impacto mínimo do trabalho na literatura científica internacional – ou seja, isso faz com que ninguém encontra nosso trabalho.

Uma boa seleção de palavras-chave nos permite identificar estudos por meio de bases de dados internacionais e nacionais (assim como repositórios institucionais e redes acadêmicas), facilitando o acesso prioritário de outros pesquisadores aos nossos achados. De fato, estes motores de busca especializados (Web of Science, Scopus, Google Scholar, Dialnet…), tomam principalmente as palavras-chave como referência na obtenção de resultados num processo algorítmico complexo. Da mesma forma que esta seleção de palavras deve ser priorizada ao longo do documento (como é o caso da sua densidade em termos de SEO para páginas web), também ser incentivada a sua introdução no valioso e reservado espaço das ‘palavras-chave’ de cada revista com lógica e estratégia.

Dicas para selecionar palavras-chave (apropriadas)

• Selecionar palavras-chave de Thesaurus oficiais internacionais e/ou da própria revista (exceto nos casos em que seja necessária a incorporação de palavras emergentes).

Não repetir termos do título com os da seção ‘palavras-chave’. Essa redundância não fornecerá mais informações ao mecanismo de busca e pode impedir que o trabalho seja localizado por um conjunto mais amplo de termos.

• As palavras-chave selecionadas devem ser introduzidas iterativamente ao longo do artigo com ressalvas. Isso significa que a escrita ‘natural’ deve ser priorizada, fazendo uso de sinônimos. De fato, muitos dos motores de busca também rastreiam esses sinônimos, sendo possível uma repetição (adequada) dessas palavras em até 1%.

Não usar palavras-chave complexas que dificultem sua localização. Evite composições sem reconhecimento científico (exemplo errôneo: “uso de tablet por adolescentes”), utilizando termos simples (exemplo correto: “tablet”, “adolescentes”).

Entradas recientes