Autora: Águeda Delgado / | marzo 14 2022 / Tradutora: Vanessa Matos https://doi.org/10.3916/escuela-de-autores-174 Um aspecto central em qualquer investigação que determinará em grande parte a qualidade dos resultados é a escolha do método e dos instrumentos selecionados para realizar a coleta de dados. A partir dos objetivos da pesquisa e das hipóteses propostas (se existirem), o pesquisador […]

Autora: Águeda Delgado / | marzo 14 2022 / Tradutora: Vanessa Matos

https://doi.org/10.3916/escuela-de-autores-174

Um aspecto central em qualquer investigação que determinará em grande parte a qualidade dos resultados é a escolha do método e dos instrumentos selecionados para realizar a coleta de dados. A partir dos objetivos da pesquisa e das hipóteses propostas (se existirem), o pesquisador determinará o tipo de pesquisa (documental, experimental, de campo…), a abordagem (quantitativa, qualitativa ou mista) e o escopo da pesquisa (exploratório, descritivo, correlacional…) e com base neles seus métodos, técnicas e instrumentos que estabelecerão a direção que o estudo seguirá, como os dados serão coletados e a profundidade com que serão pesquisados.

No entanto, a escolha do método nem sempre depende da vontade do pesquisador, mas em muitas ocasiões é restringida por suas possibilidades e limitações, como mostrado neste post anterior.

A coleta de dados, por sua vez, depende não apenas do método ou das técnicas selecionadas, mas também das fontes de onde os dados serão obtidos e dos instrumentos escolhidos ou desenhados para esse fim. Este último deve atender a três requisitos essenciais: confiabilidade, validade e objetividade.

• Confiabilidade refere-se ao grau com que um instrumento produz resultados consistentes e coerentes.

• A validade, em geral, refere-se ao grau com que um instrumento realmente mede a variável que se propõe a medir.

• Objetividade é o grau com que o instrumento é ou não permeável à influência dos vieses dos pesquisadores que o administram, qualificam e interpretam.

Tanto a confiabilidade quanto a fiabilidade e a validade são determinadas por várias técnicas e estatísticas específicas. Caso algum dos três requisitos falhe, o instrumento não se mostra útil para a realização do estudo. Portanto, é importante seguir um procedimento sistemático ao selecionar o(s) instrumento(s) para coleta de dados e não deixá-lo(s) ao acaso; a variável a ser medida deve ser bem conhecida, assim como a teoria e a prática que a sustentam. Tais ações são importantes para que não se gerem instrumentos pouco válidos ou confiáveis.

Vale lembrar que todos esses aspectos devem ser incorporados detalhadamente na seção “Material e método” do nosso artigo, justificando a escolha do método e dos instrumentos e demonstrando que nossa ferramenta atende aos requisitos que lhe são supostos, pois devemos mostrar que a pesquisa é realizada com rigor científico e que, portanto, os resultados que alcançamos são válidos.

Entradas recientes